É no meio da madrugada que começo escrever minha reflexão de hoje. Embora seja uma reflexão bem pessoal, decidi compartilhar com vocês tudo o que estou pensando porque valorizo demais a companhia e amizade de você que está junto com a gente, nessa caminhada que chamamos de Discipulado, aqui no Metanoia. Meus últimos dias foram bem complicados, pois uma crise que carrego há pelo menos seis anos intensificou significativamente. Essa crise repousa no fato de eu saber ter recebido certa revelação de Deus, entender o quanto meu conhecimento e experiência acumulados no Reino de Deus nos últimos anos tem contribuído para melhorar a vida das pessoas e ter a sensação de estar atrasado na vida de muitas outras, sejam elas conhecidas por mim ou não.

…como quem geme as dores de parto…

Diariamente recebo mensagens nas redes sociais de pessoas pedindo ajuda espiritual, buscando compreender melhor o Reino de Deus, pedindo auxílio para implantação do movimento nas mais diversas regiões do país ou apenas pedindo oração por algo complexo que têem vivido. Outras pessoas lidando com seus vícios e os mais diversos pecados acariciados, crises existenciais, espirituais e de propósito. Além dessas pessoas, ainda tem centenas de outras que nunca entraram em contato comigo, mas sei que estão por aí aguardando, como quem geme as dores de parto, por um filho de Deus que as ajude a encontrar esperança em algo superior ou uma espiritualidade mais relevante (Romanos 8:20-22). De fato, não consigo atender nem sequer um mínimo percentual desse grupo razoavelmente grande de pessoas que entram em contato comigo diariamente.

…não é de hoje que venho perdendo o interesse nos negócios desse mundo…

O fato é que não sou pastor ou funcionário de alguma instituição religiosa e sinceramente não tenho a menor pretensão de ser. Tenho meus negócios há alguns anos e venho sendo sustentado por Deus, juntamente com minha família, através de cada um deles. Porém, não é de hoje que venho perdendo o interesse nos negócios desse mundo e me sentindo cada vez mais impelido a dedicar minha vida em tempo integral para o Reino de Deus e tudo o que está envolvido nele. Decisão aparentemente simples, mas que me envolve tentáculos importantes na minha vida, da minha família e de algumas pessoas que, de certa forma, são beneficiadas com as riquezas geradas por minhas pequenas empresas.

…encontrei muita paz ao imaginar como seria minha rotina…

Fiz um exercício de visualização um dia desses e encontrei muita paz ao imaginar como seria minha rotina se eu vivesse exclusivamente do Reino de Deus. Passaria mais horas em solitude, escreveria ao menos três livros sobre assuntos que julgo muito importantes, abriria um canal no youtube para compartilhar minhas reflexões, escreveria mais vezes para o blog, me encontraria com moradores de rua, garotas de programa, usuários de droga, refugiados e as mais diversas pessoas comuns apenas com o intuito de discipulá-las nesse contato um a um. Dedicaria um tempo importante para realizar atividades físicas e mais tempo para minha família de casa, meus vizinhos e pessoas que trabalham na minha vizinhança. Passaria algum tempo desenvolvendo palestras, treinamentos, sermões, lendo livros e principalmente desfrutando de tempo especial com Deus lendo a bíblia e fazendo orações menos corridas. Viajaria por todos os estados do Brasil e também para outros países visando levar essa mensagem para onde Deus me enviasse. Evidentemente, sei que viveria muitos momentos difíceis em missão. Afinal, sei que estou vivendo uma guerra espiritual e as dificuldades seriam evidências de que estou no caminho certo.

Havia descoberto mais um saco de lixo dentro de mim…

Pensar isso me agradou muito e então comecei a cogitar a possibilidade de abandonar os negócios que estou envolvido e enfim, dedicar minha vida integralmente ao evangelho. Em meios as minhas reflexões, comecei a racionalizar quais seriam os impactos e esbarrei em algo que me incomodou muito. Descobri que o principal impedimento para eu abandonar tudo e viver a causa do evangelho em sua plenitude era deixar de ter o controle sobre o meu dinheiro. Abrir mão de decidir qual roupa comprar, que carro dirigir, para onde viajar, qual restaurante comer dentre centenas de outras pequenas ou, até mesmo, grandes decisões. Havia descoberto mais um saco de lixo dentro de mim e seu chorume me fez compreender que ainda sou idólatra e mesmo sendo apaixonado por Jesus, ainda tenho prazer em flertar com o deus falso do dinheiro.

Quando estou com eles, sinto minha fé fortalecer…

Nas últimas duas semanas tenho vivido com frequência uma mescla de confirmações desse chamado e tentações de identidade. Enquanto de um lado, recebo uma chuva de críticas de familiares por não suprir determinadas carências deles, recebo também um testemunho de uma garota de programa que se converteu ouvindo o podcast do Metanoia e abandonou a prostituição. Em um momento sou questionado na minha identidade enquanto em outro sou reafirmado nela.

O que tem me ajudado muito nesse trajeto tem sido os amigos e a comunidade que integro ali na Vila Madalena em São Paulo. Me encontrar com algumas dessas pessoas com frequência semanal tem me mantido convicto quanto a minha identidade, vocação e propósito. Muitos deles se tornaram mais chegados que irmãos. Conversar com eles reduz a sensação de extraterrestre que tenho quando me reúno com um grupo de pessoas, mesmo cristãs, que não compreendem minhas convicções, questionam meus motivos e atacam minha fé com palavras duras e repreensivas. Quando estou com eles, sinto minha fé fortalecer, me inspiro em seus testemunhos e experiências pessoais, ouço com atenção as palavras que eles dizem, as broncas que eles me dão, as coisas que eu disse para eles no passado e que agora servem pra mim dentre várias outras coisas.

Quero dedicar minha vida as pessoas…

Percebo que já tomei a decisão no mais íntimo da minha alma, mas ainda não sei onde tomar posse disso na eternidade. Os próximos meses serão determinantes para que essa decisão se consolide e eu possa enfim comemorar o fim da minha idolatria e o abandono completo dos negócios terrenos para me dedicar completamente aos negócios do Abba (2 Timóteo 2:4). Eu quero ser esse homem fiel citado por Paulo na segunda carta à Timóteo. Quero dedicar minha vida as pessoas e eliminar a sensação de sempre chegar atrasado para aliviar o sofrimento dos meus irmãos. Quero incluir pessoas na família de Deus que ainda não sabem que tem um Pai de amor que já salvou a todos e deseja que vivamos Sua plenitude aqui e agora.

Minha oração hoje é primeiramente de agradecimento por Deus me presentear com tantos amigos que carregam a semelhança de Cristo e que me ajudam reencontrar o caminho quando as pernas parecem vacilar. Em seguida, oro por poder do Espirito Santo para vencer minha idolatria e abandonar de vez o controle das minhas decisões quanto ao que comer, vestir ou fazer. Por último, oro para que Deus permaneça me enviando as pessoas que Ele quer transformar e me de energia suficiente para vencer essas batalhas um dia de cada vez.

The following two tabs change content below.

Rodrigo Maciel

É um dos idealizadores e palestrantes do Portal Metanoia. Administrador de Empresas de formação, empreendedor de profissão e pastor leigo por vocação, é também plantador de igrejas missionais na cidade de São Paulo.

Últimos posts por Rodrigo Maciel (Ver tudo)