Posts

No chão da vida, o tempo voa!

Acabo de chegar em casa depois de viver um final de semana intenso, daqueles que deixam sua cabeça revirada, sabe? Tô meio zonzo, literalmente. Não consegui me reestabelecer ainda. Foram dois dias de um congresso que falou basicamente sobre missão… sobre essa missão que acontece hoje, agora, o tempo todo, focada em quem está lá fora e ainda não conhece o que, pela misericórdia de Deus, nós conhecemos.

Por falar em final de semana, esse foi meu último de férias do trabalho. Parece que ontem eu sai da TV. Hoje faz 28 dias. Quarta eu volto a trabalhar. Vivi dias especiais ao lado da minha família, e tô com medo do impacto que será deixa-las em casa quando voltar à rotina “normal”. Voou!

Quando eu saia do congresso que citei acima, recebi uma mensagem com uma notícia muito triste: um amigo meu, da Nova Semente, o grande Gelceles, faleceu. Ontem estava na igreja. Hoje, morreu. Esse cara viveu uma vida sofrida. A caminhada foi árdua. Lutas e mais lutas. 90% da experiência dele nessa terra foi longe de Deus. Mas há pouco tempo ele O conheceu. E isso mudou a vida do Gel.

No congresso, ouvi coisas que talvez não quisesse ouvir. Refleti sobre uma realidade que talvez eu não quisesse refletir. Afinal, o que eu tenho feito? Tenho vivido o que eu tanto prego? Quais as minhas raz… DESCULPAS, para não fazer o que eu sei que preciso fazer?

Ah, o Gel… Eu já o conheci na igreja, ainda lutando com os problemas que tanto o afligiam. Ficamos mais próximos quando ele passou a frequentar um pequeno grupo que eu liderava junto com minha esposa e outros amigos. Ali, ele se abriu, se entregou de verdade. Conheceu uma família que o amava. Conheceu o amor de Deus. Se esbaldou nesse amor. Pode experimentar milagres incríveis, dois deles, a sua própria conversão e a decisão pelo batismo. Ultimamente, as batalhas continuavam e acho que iriam perdurar. Me conforta o fato de saber que Deus talvez o tenha livrado de sofrer novos baques por aqui, afinal, o mais importante o Gel conseguiu: conheceu verdadeiramente a Cristo.

Depois de chorar e levar algumas porradas na cara durante o congresso, ao final, teve uma consagração. Foi uma sequência de testemunhos, orações e palavras de afirmação, uns sobre os outros. Deus, mais uma vez, agiu poderosamente. Faltava pouquíssimo tempo para eu ir embora, quando um menina se aproximou de mim. Eu não lembro o nome dela. Apenas sei que ela estava chorando quando disse: “Lucas, eu só queria agradecer… o podcast Metanoia tem sido muito importante pra mim e tem mudado minha vida. Não parem. Continuem firme”. Eu a abracei e chorei. “Louvado seja Deus”, eu disse a ela.

Chorando, fui pro carro e li a mensagem sobre o Gel.

Repensei sobre tudo que ouvira no final de semana. Repensei sobre a mensagem de Cristo e Sua missão. Repensei sobre o meu hoje, o meu agora. Repensei sobre minha vida. Repensei tudo! Entrei em crise. Quando cheguei em casa, chorei mais um pouco. Depois do banho, desabei. Sai do quarto para não acordar minha filha e vim escrever.

Sabe, o Gel só conheceu mais de Cristo porque um dia eu e outras pessoas resolvemos matar nosso eu para viver aquele pequeno grupo. Agradeço, inclusive, ao Rodrigo Maciel que forçou a barra e me fez liderar esse PG, mesmo, à época, a contragosto. Deus usou tudo que vivemos para salvar esse cara! Você entende o que estou falando? Uma decisão! Ir! Fazer! Hoje! Agora! Mas, pensando assim, quantas pessoas estão morrendo nesse exato momento sem o privilégio que o Gel teve porquê eu estou parado? Deus seja louvado pela vida do Gel, mas Deus tenha misericórdia desse que vos escreve.

Às vezes, me pego dizendo: já, já, eu volto a fazer o que fazia, a viver o que vivia, a ser quem eu era. Mas o chamado de Cristo é para irmos agora! Ele disse: “Eu vos envio…” Estamos enviados. Ponto. Diferentemente do meu trabalho, onde ainda estou de férias, no Reino de Deus, não há descanso, nem folga. É 24 por 7. E sabe por quê? Porque o o relógio tá girando e pessoas estão morrendo. Quando estamos em prontidão, elas não morrem sem O conhecer. Mas, quando dormimos no ponto, filhos se perdem por causa do nosso egoísmo. E não adianta dizer, “amanhã eu farei”. Tá mais que provado que o amanhã pode nem chegar. Afinal, no chão da vida, o tempo voa.

Converse

Conversar é o melhor remédio para um mundo tão caótico. Então, converse. Na conversa há cura. Na relação estão as lições. Sente. Ouça. Fale. Mas fale menos para ouvir mais. E quando falar mais, o faça com sabedoria. Mas faça. Converse. Trocar ideias é a forma mais efetiva de aprender e crescer. Cresça. Converse. No isolamento e no distanciamento moram as principais doenças de qualquer civilização. Esqueça a tecnologia. Sente frente a frente. Sinta a presença de alguém. Qualquer pessoa. Veja as expressões. Entenda as reações. Converse. Na conversa estão as mais preciosas joias do aprendizado. Ouça sem pré conceitos. Seja vulnerável. Deixe que seu eu seja contrariado. Mude de opinião. Tenha convicção do que pensa, mas viva com a leveza de quem pode conhecer algo novo.

Surpreenda-se. Converse.

No trabalho, não vá apenas trabalhar. Vá fazer amigos. Aquele papo de que trabalho é apenas trabalho é a maior besteira de todas. Não entre e saia sem conversar com pelo menos uma pessoa. Conversa de verdade. Conversa franca. Qualquer assunto. Converse. Faça o mesmo na academia, no restaurante, na igreja, no posto de combustível, no elevador, no café.

Na conversa há vida, vida abundante.

Levante de onde você está. Deixe o celular de lado. Olhe para os lados. Procure alguém. Converse. Sobre política, economia, videogame, futebol, religião, Deus. Converse. Deixa fluir o que está dentro de você. Deixe Deus falar. Sim, Ele é quem quer falar. Não cale a voz do Mestre. Converse. Na conversa há Deus.

Converse com Ele, e deixe Ele conversar por meio de você.

Por Lucas Wilches